Craque é Craque – Yashin

13 ago

Boooooooooom dia segunda-feira com Além do Placar de volta! E, para recomeçar em grande estilo, trazemos um baaaaaaaita goleiro no Craque é Craque: Lev Yashin!

Yashin foi um dos, senão o maior, goleiro da história do futebol. Esse russo demonstrava agilidade, reflexo, saltos e frieza única. Os atacantes tremiam na frente dele, principalmente na hora dos pênaltis, onde reza a lenda que ele nunca dava rebote, simplesmente agarrava a bola para valer!

Era conhecido como Aranha Negra na América do Sul, ou Pantera Negra na Europa, devido ao seu uniforme todo preto. Yashin é o único goleiro até hoje a ganhar a Bola de Ouro da France Football, prêmio para o melhor jogador da Europa, em 1963.

Quando se aposentou, em jogo-despedida de 1971, a FIFA resolveu homenageá-lo com uma medalha de ouro especial, por sua extraordinária contribuição ao esporte. Foi um entre tantos reconhecimentos que recebeu durante e após a vida, sendo popularmente considerado o melhor goleiro do século XX.

Mesmo que Yashin, por ironia, jamais tenha sido eleito o melhor goleiro em uma Copa do Mundo, a FIFA voltou a homenagear-lhe, em 1994, quatro anos após sua morte, batizando com seu nome o prêmio dado oficialmente ao melhor goleiro de uma Copa. O troféu Lev Yashin seria posteriormente renomeado para Luva de Ouro.

Começou sua carreira como goleiro de hóquei no gelo na equipe de fábrica de ferramentas onde trabalhava em plena Segunda Guerra Mundial e aos catorze anos decidiu atuar como goleiro de futebol.

Yashin defendeu o Dínamo de Moscou por toda a sua carreira de 22 anos, onde ingressou em 1949. O início não foi fácil, ganhou a posição em 1953, ficando até 1958 sem tomar um unico gol. Naquele ano, ele, um fã de hóquei no gelo, decidiu recusar uma convocação da Seleção Soviética de Hóquei para concentrar-se no futebol.

Sua era de ouro com o Dínamo iniciaria-se no ano seguinte, conquistando seu primeiro campeonato soviético pelo clube. Venceria a Liga outras quatro vezes (1955, 1957, 1959 e 1963). Foi também três vezes campeão da Copa da URSS (em 1953, 1967 e 1970). Entretanto, seus outros feitos no Dínamo são difíceis de se apurar com rigor, pois os melhores momentos de Yashin no clube foram nos mais fechados tempos de comunismo na Guerra Fria.

Pela seleção, disputou quatro copas do mundo e foi campeão olímpico em 1956. Foi um dos poucos goleiros que conseguiu parar o ataque brasileiro formado por Garrincha e Pelé. Aliás, segundo a lenda, Yashin defendeu 150 pênaltis na carreira e não levou gol em 270 jogos.

Yashin também prezava pela antevisão dos lances adversários, antecipando de suas observações o movimento de defesa. Foi ele o responsável por espalhar a noção de um goleiro avançado em relação à sua área, comportando-se como um líbero.

A frieza de Yashin vinha de um ritual pouco comum em que ele se submetia antes de jogos importantes. Nessas ocasiões, o goleiro sempre fumava um cigarro “para acalmar os nervos” e tomava uma vodca “para tonificar os músculos”.

A paixão do goleiro pode ser demonstrada quando disse: “A alegria de ver Yuri Gagarin no espaço só é superada pela alegria de uma boa defesa de um pênalti”. E assim fechamos a história de Yashin, quisá o melhor goleiro do mundo.

No último Craque é CraqueMichael Laudrup

Uma resposta to “Craque é Craque – Yashin”

Trackbacks/Pingbacks

  1. Craque é Craque – Batistuta « - 08/21/2012

    […] último Craque é Craque – Yashin. Compartilhe!FacebookTwitterPinterestGostar disso:GosteiSeja o primeiro a gostar […]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: