Craque é Craque – Djalminha

13 jun

O primeiro Craque é Craque do retorno do Além do Placar está pronto. E vamos direto em um grande jogador: Djalminha!

Djalma Feitosa Dias, mais conhecido como Djalminha, é filho de Djalma Dias, lateral-direito consagrado do Palmeiras e da Seleção Brasileira. Diferentemente do pai, Djalminha era canhoto e meia, e dos bons!

Djalminha tinha todas as características de um Meia clássico: o domínio de bola preciso, dribles desconsertantes e passes/lançamentos milimétricos, demonstrando toda sua técnica e criatividade.

O craque começou a carreira no Flamengo, onde fez parte do elenco vencedor da Copa do Brasil de 1990, após ganhar a Copa São Paulo de Futebol Junior.

Djalminha tinha um futuro promissor na Gávea, contudo, após uma discussão e troca de empurrões com o companheiro de equipe Renato Gaúcho em 1993, viu-se longe dos holofotes e da Seleção Brasileira, onde era nome cotado para a Copa América de 1993. Djalminha deixou o Flamengo pela porta dos fundos.

Do Flamengo seguiu para um recomeço no Guarani em 1993. Ficou duas temporadas no clube de Campinas, sendo o grande armador do time. Pouco depois, Djalminha foi se aventurar no futebol japonês. Não se adaptou à vida no Japão e, no mesmo ano em que saiu, retornou ao Guarani. Em seu retorno compôs o famoso trio na história do Bugre, com as revelações do Amoroso e Luizão, que ataque!

Em 1995, Djalminha foi contratado para jogar no Palmeiras e ganhou reconhecimento por brilhar ao armar jogadas com uma qualidade ímpar, roubando a cena em meio a um elenco repleto de grandes jogadores como Cafú, Júnior, Flávio Conceição, Rivaldo, Müller e Luizão.

Com esse timaço, o Palmeiras venceu o Campeonato Paulista de Futebol de 1996, quando seu ataque atingiu a histórica marca de 102 gols anotados. Mais tarde, Djalminha chegaria a declarar que aquela fora a melhor equipe pela qual já havia atuado em toda sua vida.

A carreira de Djalminha atingiu seu ápice, em 1997, quando foi titular da Seleção Brasileira que conquistou a Copa América. Com o sucesso na seleção veio o reconhecimento internacional que o levou para o Deportivo la Coruña da Espanha, onde jogou de 1997 a 2002.

Lá, tornou-se ídolo, após a conquista inédita do Campeonato Espanhol de 1999/00. Entretanto, na temporada 2002, o temperamento de Djalminha tornou a atrapalhar sua carreira: durante um treino, ao desentender-se com seu treinador, agrediu-o com uma cabeçada. Naturalmente, foi afastado da equipe e, acredite, negociado com um clube da liga austríaca, o Austria Wien.

O pior de tudo foi que a notícia de seu ato indisciplinar também acabou repercutindo em seu futuro na Seleção Brasileira. Antes cotado para a disputa da Copa do Mundo de 2002, Djalminha acabou ficando de fora dos planos do técnico Luís Felipe Scolari. Seu ciclo na Seleção foi finalizado com apenas catorze jogos e seis gols.

Em 2003, após uma temporada inteira na Áustria conquistando a copa e a liga deste país, Djalminha voltou ao Deportivo la Coruña, após especulações de um possível retorno ao Palmeiras. Por fim, encerrou sua carreira após se ver sem contrato e desestimulado com as propostas que surgiam. Djalminha ainda teve uma passagem curta no América do México, aos 34 anos de idade.

Além dos dribles, passes e gols, Djalminha foi o jogador responsável por executar a primeira cobrança estilo cavadinha no Brasil, tornando-a conhecida do público brasileiro. Djalminha executou a cavadinha pela primeira vez em um jogo do Guarani contra o Internacional de Porto Alegre, contra o goleiro argentino Goycochea, famoso por ser grande pegador de penaltis.

Parte da crítica e do público enquadra Djalminha em um grupo não muito feliz de craques injustiçados, com poucas chances na Seleção Brasileira. Em entrevista ao programa Bem Amigos, o ex-lateral-direito Cafú afirmou que Djalminha foi o jogador mais habilidoso que já viu jogar. Em suas palavras “o que o Djalminha fazia com a bola era uma coisa impressionante. No dia-a-dia, nos treinamentos…” – dando a entender que era um gênio em tempo integral, não craque de momento.

Após parar de jogar profissionalmente, Djalminha passou a dedicar-se ao showbol. Sempre tem jogo dele passando no SporTV.

Confira abaixo alguns lances desse craque!

Uma pena que um talento desse nível tenha sido boicotado da seleção em função do seu temperamento explosivo. Djalminha sempre ficará marcado para mim como um dos grandes meias da história brasileira, um verdadeiro craque!

Por hoje é só no Craque é Craque, não esqueça de nos seguir no twitter para receber todas as novidades do Além do Placar em primeira mão.

Anúncios

Uma resposta to “Craque é Craque – Djalminha”

Trackbacks/Pingbacks

  1. Craque é Craque – Verón « - 06/25/2012

    […] No último Craque é Craque – Djalminha. […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: